quarta-feira, junho 14, 2006

Greve de Professores ou de Malandros?

Mais um “tiro no pé” dos sindicatos.
Ao marcar a greve para um dia colado a um (ou entre) feriado(s), torna impossível distinguir quem protesta, dos.. malandros.
E, perante a opinião pública, coloca todos os docentes no lado dos…malandros.
Tudo isto apenas pode dar um resultado: luz verde para a Ministra fazer o que quer.
O que é bom e é mau.
É bom porque se garante a mudança. E, nos tempos que correm, no estado a que se chegou, todas as mudanças são boas.
E é mau porque, com toda a força política que tem (1º Ministro mais toda a opinião pública) poderá (a Ministra) decidir manter (e não melhorar) a sua proposta.

Já está no terreno a reacção corporativa. Reclamações e vitimizações. Uma avalanche de artigos e posts. Comentários, faixas e roupas negras. Greves.

Percebemos a emotividade, mas isto tinha que ser feito.

A Ministra tem razão no que faz, mas pouco no que vai dizendo. Sabendo que a imprensa e a corporação vai aproveitar tudo para se vitimizar, tem que ter mais cuidado com o que diz… apesar de estar muito perto da verdade.

Não interessam as culpas. Até porque os professores só fazem o que fazem porque as diversas, várias e sucessivas tutelas legislaram, despacharam e permitiram tudo isso.

É por isso e só por isso que os professores não têm culpa. Apenas têm a culpa do silêncio e conivência. Afinal foi TUDO para eles. Nada para os alunos e para o sistema e o resultado está à vista: muito dinheiro para a Educação, as melhores condições (não de trabalho, mas de pouca exigência, muita remuneração e óptima reforma) para os professores e … os piores resultados da Europa.

Estas medidas colocam grande parte das coisas, em ordem. Não são nenhum castigo.
Repõem-se deveres, não se retiram direitos.

A questão é simples:

Manter tudo na mesma (o que querem os sindicatos).
Mudar (o que deseja a Ministra e a opinião pública).

E na mudança, estas medidas são fundamentais. É necessário colocar em ordem o sistema e clarificar o trabalho e a prestação dos professores. Os professores são o elemento charneira no sistema educativo. Será que achavam que uma mudança (que todos concordavam como necessária) não lhes tocaria? Ingenuidade e impossibilidade total.

Até porque estas medidas não vão, realmente, melhorar os resultados do sistema, mas vão garantir as condições para que outras e novas medidas possam ser tomadas e ter… sucesso.

E mais: pouco influirão no trabalho dos (já) bons professores. Mas vão colocar a trabalhar os tais… malandros.

3 comentários:

NP disse...

Os portugueses viram bem que estiveram milhares de "malandrecos" na manifestação, em Lisboa!

Tinham ido todos à praia... como se viu: estavam todos molhados!

Enfim...

Gastão Pinto disse...

Estou cansado de ouvir chamar malandros aos professores. O colega (creio ser colega) pode fazer os comentários que entender mas não vou alimentar polémicas.

Anónimo disse...

É uma pena que esses demagogos políticos pensem assim! Nas campanhas políticas dizem que têm "milhões" (fala da Governadora do Pará no debate em campanha eleitoral)para investir na educação e inclusive melhorarem os salários dos professores (todos tem curso superior, exigência da lei)só que na prática tudo muda! Esquecem que pra se chegar a algum lugar tem que ter um bom professor e pra ter qualidade tem que ter investimento, as escolas estão caindo aos pedaços, exemplo: EEEM Polivalente de Altamira (Pará)tem aproximadamente 2000 alunos e não recebe fundo de participação, qdo chove até parece que vivemos no alagado é uma calamidade. Faltam serventes, vigias, materiais de limpeza, pessoal de coordenação, carteiras decentes, salas em condições de trabalhar, quadra de esporte, etc.
Para escrever na lousa é preciso apoiar com uma das mãos para não correr o risco de cair na cabeça de alguém. E ainda tem pessoas incensíveis com pouca capacidade de raciocínio que diz que nos chama de malandros? Malandros são esses desocupados que se elejeram as custas das desgraças dos outros e hoje aprovam ajudas: paletó, ajuda moradia (30.000,00), e outras ajudas imorais pra não fazerem nada em prol daquilo que se propuseram a fazer. Aparecem nas reuniões uma vez por semana e quando vão, e recebem um absurdo pra nos oprimir, isso sim é que é uma "vergonha" isso sim é que é "malandragem", nóe professores estamos todos os dias em salas de aula lotadas com mais de 40 alunos suportando abusos de todas as espécies e quando lutamos por nossos direitos somos taxados de "vagabundos", até quando seremos humilhados pelos falsos moralistas? Lembrem: "pra toda ação há uma reação"! Quem achar que eu estou mentindo venha conhecer a ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO MÉDIO POLIVALENTE DE ALTAMIRA - PARÁ, de preferência em um dia de chuva! Um País sem educação é um País pobre, sem perspectiva de futuro. Pense nisso!